• Luiz Carlos Liberato Peruchi

Ser Enfermeiro

O Enfermeiro(a) apoia do nascer ao morrer, em todas as etapas do desenvolvimento humano, todos recebem cuidado, orientação e amparo desse profissional dotado de um saber técnico que promove a saúde e restaura a integridade e a dignidade humana.



O Enfermeiro(a) é visto como referência na área assistencial, envolvendo a saúde da coletividade como um todo. Deve-se, então, trabalhar por amor às vidas, independente da carga horária excessiva e do estresse adquirido no dia a dia, pois, o sucesso do Enfermeiro(a) apoia-se na humanização e ética da assistência.


Se a vida de enfermeiro(a) já era desafiadora em outros tempos, inegavelmente, em situações de crise na saúde a sua importância só cresce. A pandemia do novo coronavírus impôs inúmeros desafios, principalmente, a quem atua na linha de frente com os infectados, com toda a certeza, a vida de enfermeiro(a) já é marcada por muitas horas de trabalho, estresse, pressão e, muitas vezes, literalmente vida e morte, no entanto, em situações de crise, como agora, ainda é acrescido o medo de ficar doente ou perder algum familiar.


Ser enfermeiro(a) virou um ato de coragem e amor à profissão, além de ajuda ao próximo.


Com a pandemia, os enfermeiros(as) viraram um símbolo de dedicação e sacrifício e muitos dos profissionais de enfermagem tem atuado de forma efetiva nas Unidades e Clinicas de terapia intensiva contra (covid19), já que é o local de maior necessidade desse tipo de assistência integral de forma qualificada. Além disso, grande parte deles relata nunca ter passado antes por uma situação tão intensa e desafiadora quanto essa. Enquanto há o medo de adoecer por estarem tão perto de pessoas com a doença, há também a sensação de estarem cumprindo uma missão. Muitos alegam sentir-se como parte da família dos hospitalizados, principalmente pelo fato de que estão isolados de seus entes queridos.


Isso tudo faz com que os enfermeiros tenham que adaptar suas vidas. Ao mesmo tempo que grande parte está afastada da família, muitos estão tendo que trabalhar a mais pela falta de profissionais, mas quando se é enfermeiro(a) você sabe que todos os dias você vai tocar uma vida ou uma vida vai tocar você.


Parabéns à todos os profissionais da enfermagem (enfermeiros, técnicos e auxiliares), que dedicam suas vidas a cuidar de outras, sempre com o maior propósito de valorizar, preservar e salvar vidas.

Luiz Carlos Liberato Peruchi

É Enfermeiro e atua como Gerente de

Enfermagem no Hospital Nossa Senhora da Piedade de Lençóis Paulista.

47 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo